Seja por limitação da plataforma atual, por escalabilidade do seu negócio ou por custo:

 

Chegou a hora de migrar a sua plataforma de e-commerce.

 

A primeira realidade que você precisa encarar é que durante as próximas semanas, o seu foco vai mudar de “crescer as vendas”, “diminuir o custo”, “treinar a equipe” para “migrar a plataforma”. Só essa realidade em si já vai causar um efeito negativo no crescimento do seu e-commerce, deu pra entender?

 

Sendo assim, o processo de migração já começa como um passo para trás. O objetivo desse post é fazer com que esse passo pra trás se torne 2 passos pra frente a médio prazo.

Passo 1 – Planejamento e Cronograma da Migração

Não tem como escapar de um planejamento completo, envolvendo todos os departamentos da sua empresa. Essa fase é crítica porque vai administrar as expectativas do projeto. Erros de cálculo em relação a servidor, desenvolvimento, meios de pagamentos e outros, podem causar dor de cabeça.

Passo 2 – Alinhamento do modelo e regras de negócio

Existe um processo por trás de toda a sua loja atual. Seja o caminho de compra, fullfilment, integração com o ERP, entre outros. É importante nessa fase, mapear primeiramente todos os processos do seu site atual, aí comparar com os disponíveis na plataforma nova.

processo de negocio

É importante verificar além de processos existentes e tentar enxergar oportunidades novas. Quais processos realmentes devem permanecer na migração? Quais processos não são necessários e quais processos poderíamos implantar daqui pra frente?

 

Uma vez que você conseguiu mapear todos os processos da nova plataforma, é hora de testar cada um deles repetidamente, com o intuito de aprimorá-los e avaliar sua eficácia. No mundo perfeito, você faz isso antes mesmo de criar qualquer tipo de layout, afinal de contas, funcionalidade deve vir sempre primeiro.

Passo 3 – Migração do SEO

A migração de SEO por si só poderia ser um post ou até um eBook. O assunto é extremamente importante porque está relacionado diretamente às vendas de curto, médio e longo prazo. Uma estratégia errada vai causar quedas e uma estratégia excelente pode causar crescimento. Provavelmente nos aprofundaremos no assunto em outra ocasião, mas por hora, seguem os pontos principais:

 

  • Comece antes da migração – Ajustar o SEO do site depois dele ter sido migrado é um erro gravíssimo. O trabalho que deve ser feito antes da migração é o que vai garantir o sucesso. Análise de posicionamento atual, estrutura de urls e identificação de oportunidades são algumas das tarefas que você vai fazer aqui.
  • Estrutura de URLs – Em um mundo perfeito, a estrutura das suas urls ficariam iguais à da plataforma antiga, exceto quando a estrutura antiga era ruim (ex: empresa.com/prod/cat/3435535). Nesse caso, uma mudança para uma url amigável, mesmo que com efeitos negativos inicialmente, vai render mais a médio prazo. Além de mudar a url, você precisa fazer um redirecionamento 301 da página antiga para a página nova.
  • Sitemaps – Durante o processo de indexação é importante o uso dos sitemaps e a indexação dos mesmos pelo Search Console
  • Backlinks – Avalie, através do Google Analytics, quais sites estão linkando para o seu e-commerce e entre em contato com as referências, caso os links não estejam mais funcionando, para que possam atualizá-los.

 

Descrições e Títulos – Durante a migração do e-commerce, remodular os títulos e descrições é uma oportunidade a ser aproveitada. Mesmo as descrições não influenciando no ranking diretamente, estão diretamente relacionadas ao CTR (click through) e portanto precisam ser otimizadas.

backlinks

Passo 4 – Comunicação Transacional e Pontos de Contato com o Cliente

Parte primordial de qualquer e-commerce é a maneira com que ele se comunica. Os emails transacionais por exemplo, são a forma automatizada de informar o cliente sobre o status da sua compra, cadastro ou contato.

 

Praticamente toda migração de e-commerce requer atenção nesse quesito. Você vai precisar reavaliar, redesenhar e reprogramar todos os e-mails. É comum vermos empresas que usam os e-mails padrão do magento por exemplo, oferecendo uma experiência comum para o cliente e desperdiçando a chance de se posicionar estrategicamente.

Passo 5 – Organizar Categorias e Migrar Dados de Produtos

A categorização dos produtos pode e deve ser revista. Agora é hora de repensar se a maneira que você tinha pensado é a maneira que o seu cliente realmente faz a compra. Analise os dados do analytics e o comportamento do usuários no site. Ferramentas como hotjar, podem ser instaladas semanas antes da reorganização para que você tenha uma análise fidedigna do comportamento no site. Temos um post completo sobre isso aqui.

Talvez ainda mais importante que as categorias do seu novo e-commerce, são os filtros. Se não for possível pensar caso a caso por linha de produtos, analise os produtos mais procurados e tente identificar oportunidades de filtros que auxiliem o consumidor.

 

O upload dos dados de produtos, geralmente via planilha, é onde os ítens acima junto com os dados dos produtos específicos, são transferidos. É importante entender requisitos e linguagem de uma plataforma para a outra, além da atualização de dados de peso, tamanho, descrição do produto, etc.

Passo 6 – Migração de Dados do Usuário

Como explicar para um cliente que entra no site novo, que ele tem que refazer todo o seu cadastro pra poder comprar no site?

 

Isso pode abrir a porta para desconfiança (será que estou na loja certa?) e a percepção de esforço repetido nos olhos do cliente, diminuindo a nossa taxa de conversão de vendas.

 

O ideal é fazer o upload da lista de clientes, com histórico de compras e dados de segurança. Até pedir para recriar o password é aceitável, por motivos de segurança. A intenção é manter a experiência de compra o mais simples possível.

 

Considere os cuidados de segurança também, ao escolher quais dados vão ser transferidos.

Passo 7 – Treinamento da Equipe

Se o seu e-commerce já existe há algum tempo, os clientes vão inevitavelmente se perder depois da migração. É impressionante o quanto as pessoas acabam se acostumando, mesmo quando a experiência não é boa. É claro que a nova plataforma é mais fácil de usar, mas se prepare para atender a perguntas de pessoas que não se deram ao trabalho de procurar o link que estava no canto da tela na semana passada e agora não está mais lá.

 

Principalmente a equipe de atendimento, precisa estar a par e totalmente confortável com a nova plataforma, para responder qualquer dúvida dos usuários do site.

Passo 8 – Homologação e Testes

 

Depois de ter executado todas as etapas acima, o seu e-commerce vai para um servidor de homologação. É importante dedicar mais de uma pessoa da sua equipe para os testes.

 

Mesmo a empresa de desenvolvimento tendo feito todos os testes, eles pensam como desenvolvedores, não como usuários finais. É importante que você e sua equipe testem extensivamente cada função, navegação mobile, processo de compra, disparos de e-mail, enfim, tudo que diz respeito ao e-commerce.

 

Mesmo sem a nova plataforma estar 100% funcional, é importante alimentá-la já com o conteúdo que irá ser divulgado após a migração do e-commerce.

Passo 9 – Divulgação

Muitos dos usuários não estão diretamente interessados em saber que você está de cara nova. Estão interessados em saber o que mais você, como empresa, pode fazer por eles.

 

Sendo assim, recomendamos usar essa notícia como oportunidade de demonstrar o quanto você está preocupado com a experiência dele com a sua marca, a ponto de investir em um novo sistema que traz mais benefícios xyz.

divulgacao

Utilize a sua base existente, press releases, redes sociais e outras ferramentas ao seu dispor para transmitir mais do que um “facelift” no e-commerce. Foque no benefício que você está gerando a mais pra ele.

Passo 10 – Acompanhamento

Durante a fase de testes, é importante já ter preparado todo o monitoramento do Google Analytics, criação de metas, funis de vendas, e-commerce tracking e qualquer outro recurso que você tenha conforto em usar.

 

No caso de uma divulgação mais pesada, não economize na capacidade do servidor. Cada 1 segundo a mais de carregamento do site, a taxa de conversão cai.

 

Recomendo também o uso da ferramenta já citada, hotjar, para analisar a cada 2 ou 3 dias a interação dos usuários dentro do seu site. As pessoas estão encontrando o que buscam? Estão ficando perdidas no site? A taxa de abandono de carrinho caiu ou aumentou? O tempo de navegação? Taxa de rejeição?

 

É importante testar rápido para mudar rápido, quando for preciso.

Conclusão

Prepare-se. A migração de plataformas de e-commerce não é simples, não é fácil e assim como qualquer reforma na sua casa, vai custar mais do que o previsto, vai levar mais tempo que o previsto e vai te dar mais dor de cabeça do que o previsto.

 

O importante é manter o olho no objetivo: crescimento a médio e longo prazo. Se você usar a máxima “Vamos melhorar a experiência do nosso cliente”, vai conseguir o sucesso.

 

estratégia de inbound

Compartilhe: