Pesquise por hashtags, nomes, e assuntos Pesquisar

Fechar

E-commerce B2B: dados e tendências do mercado

Um dos setores de negócios digitais que mais cresce é o de e-commerce B2B. Focado em vendas para Pessoas Jurídicas, o segmento está revolucionando o modo como as empresas adquirem recursos e realizam compras corporativas.

Investir em e-commerce B2B é um caminho que cada vez mais os fornecedores estão seguindo. Continue a leitura e conheça mais sobre o setor!

O que é B2B?

B2B é uma sigla para “business to business”, ou “de negócio para negócio”, e consiste na relação de cliente e fornecedor (ou distribuidor) entre duas empresas. Esse conceito é o oposto de B2C (business to client), em que uma pessoa física é o consumidor final.

e-commerce b2b

A diferença vai muito além de para quem o produto ou serviço oferecido se destina. Em e-commerces B2B, a quantidade e a recorrência das compras são maiores. Porém, o tempo desde o primeiro contato com a empresa até a compra é mais elevado. É importante notar que existem mais tomadores de decisão nesse tipo de negócio do que em e-commerces B2C.

Como exemplo, vamos falar sobre o segmento de calçados. Uma loja virtual cujo público-alvo é o consumidor final (B2C) venderá menos itens de cada vez, Isso acontece porque quem está comprando é, normalmente, quem vai utilizar o produto. O imediatismo é maior, com mais compras feitas por impulso e menos responsáveis pela decisão de compra. Esse poder de decisão comumente se concentra em apenas uma pessoa, o próprio responsável pela aquisição.

Já em um e-commerce de calçados B2B, como a Daniel Atacado, cliente da Nação Digital, o número de compras tende a ser menor. Por outro lado, o ticket médio costuma ser mais alto, ou seja, o valor de cada compra é maior. Nesse estilo de negócios, mais pessoas são responsáveis pela decisão de compra, como, por exemplo, um departamento especializado nesse processo. Como consequência, o espaço de tempo entre a identificação da necessidade até a realização da compra é maior.

Dados do setor B2B

Segundo o Forrester Research, fonte mais confiável de pesquisas sobre o segmento B2B, o setor vendeu cerca de 889 bilhões de dólares via e-commerce nos Estados Unidos, durante o ano de 2017. A previsão para 2021 é ainda mais impressionante. Segundo a instituição, as vendas B2B devem chegar até 1,18 trilhão de dólares, e 6,7 trilhões em todo o mundo.

Como as buscas são feitas?

A mesma pesquisa revelou que 74% dos fabricantes americanos fazem mais da metade das buscas por fornecedores e produtos via Internet. Esse dado reforça a grande oportunidade que é investir em e-commerces B2B. Afinal, 56% dos mesmos entrevistados revelaram que esperam fazer mais da metade de suas compras corporativas, de recursos à outros materiais necessários para o dia a dia dos negócios, online.

Para ser encontrado, a dica é apostar em Search Engine Optimization – SEO. Em tradução livre, significa otimizar o conteúdo do site – textos e imagens – para os mecanismos de busca, como o Google, por exemplo. Essa prática é útil para que o e-commerce seja encontrado com facilidade nas pesquisas orgânicas e apareça nas primeiras posições nos termos relevantes para o segmento.

Um dos dados da pesquisa SEO Trends 2017, feita pela Rock Content, é que os e-commerces que investem nesse tipo de otimização conseguem 5,7 vezes mais clientes.

Quais as vantagens de vender online?

Um dos motivos para a popularização de compras via e-commerce, tanto no B2B quanto no B2C, é a praticidade. A pesquisa citada acima comprova que os responsáveis pelas compras corporativas buscam por maior agilidade e conforto. 74% dos entrevistados afirmam que as compras online são mais convenientes do que aquelas feitas através de representantes comerciais.

O número fica ainda mais expressivo ao adicionar à equação as compras feitas após a decisão de quais itens e com qual fornecedor adquirir: 93% acreditam que a aquisição online é mais conveniente nesses casos.

No e-commerce, não existe a figura do vendedor, que muitas vezes é o responsável pela venda. Para contornar essa situação, vale a pena investir na experiência dos usuários, em multicanais de atendimento e na produção de conteúdo especializado sobre o segmento da loja virtual, para sanar dúvidas e educar o consumidor no processo de compra.

Entre os entrevistados que não possuem um canal digital, 70% pretende criar um site em até dois anos. Enquanto isso, entre os que ainda não possuem, 20% planejam criar um canal digital nos próximos seis meses. Esses dados são prova que o mercado de e-commerce B2B não está apenas aquecido, ele está consolidado e só tende a crescer. Por conta disso, é necessário estar atualizado para oferecer, na hora certa e forma correta, o que os consumidores procuram.

A Nação Digital trabalha com estratégias de marketing para e-commerces B2B e B2C. Precisa de ajuda? Clique no banner e agende uma avaliação gratuita!

especialista em ecommerce

Esse conteúdo foi útil?
5.00 avg. rating (85% score) - 1 vote

Quer aumentar o seu ROI?

Contrate a melhor agência de Inbound Commerce do Brasil

Contrate agora

Fala pra gente o que achou

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inbound Commerce – O Maior Blog de Inbound para E-commerce