Pesquise por hashtags, nomes, e assuntos Pesquisar

Fechar

Como a indústria pode vender online para o consumidor final?

A indústria pode vender para consumidor final online – aliás, é o que muitos fabricantes estão fazendo. O modelo de negócio D2C (Direct to Consumer) elimina a barreira entre produtor e consumidor, resultando em maior controle de marca, reputação e táticas de marketing e vendas por quem produz.

Entrar no modelo D2C exige uma estratégia online ampla, mas viável para os fabricantes. É interessante saber ainda que a indústria estará competindo com gigantes do varejo, já consolidados no comércio eletrônico.

Conheça, neste post, como funciona o D2C, por que investir nesse modelo e em quais canais vender online. Confira!

Diferenças e o que são B2B2C e D2C

A sigla B2B2C (Business to Business to Consumer) é aplicada quando a indústria vende os bens de consumo para o varejista, que os comercializa ao consumidor. É o tipo de relação comercial que permite a empresa B2B chegar indiretamente ao consumidor, sem haver conflitos com o varejo.

Já o D2C é empregado para indústrias, importadores e distribuidores que vendem diretamente para o consumidor, sem a participação de intermediários (lojas de varejo, por exemplo).

O D2C significa que a fábrica pode vender para o consumidor final; modelo que, no passado, era considerado impraticável para alguns negócios em razão da estrutura exigida, dos custos de operação e do temor de que a prática afetaria a relação da indústria com os clientes. Mas o comércio eletrônico fez tudo isso mudar.

Por que vender direto da fábrica para o consumidor online

O avanço do e-commerce reduziu distâncias entre fábrica e consumidor final e diminuiu custos de implantação e operação. As indústrias têm muito a ganhar ao vender diretamente para a pessoa física. Elencamos algumas vantagens:

Alcance

A indústria pode chegar a locais que os vendedores não alcançam, seja em razão da grande concorrência ou de limitações geográficas.

Mais produtos

O fabricante pode disponibilizar a linha completa de produtos. Geralmente, os canais não vendem todos os bens – e suas versões.

Criar relacionamentos

Vender online para o cliente final é a oportunidade de criar um relacionamento de verdade com o público. Em vez de estar em um canal multimarcas, com elevada concorrência e guerra de preços, você pode se dedicar ao seu cliente e criar vínculos com ele.

Margem de lucro

A margem de lucro é maior quando não é preciso pagar os intermediários. Isso permite também conceder um preço mais vantajoso ao consumidor, o famoso “produto a preço de fábrica”.

Segurança e credibilidade

Um e-commerce operado pelo fabricante encerra qualquer dúvida do consumidor sobre a idoneidade da loja.

Em quais canais vender

São algumas possibilidades, e nenhuma anula a outra, podendo, assim, operarem juntas. A fábrica pode vender no próprio e-commerce, o que reforça a credibilidade e a segurança para o cliente.

Neste caso, haverá despesas com plataforma e divulgação dos produtos. Existem duas opções: terceirizar a operação, contratando uma agência de marketing, ou formar uma equipe interna que ficará responsável pelo gerenciamento do e-commerce. Veja mais oportunidades e responsabilidades:

Oportunidades

  • Oferecer a linha completa de produtos
  • Valorização da marca
  • Autonomia
  • Gestão de marca

Responsabilidades

  • Divulgação para atrair tráfego
  • Investimentos e riscos
  • Segurança
  • Logística

A segunda opção é estar em um (ou mais) marketplace. Neste caso, não há custos com plataforma, mas, sim, pagamento de taxas. Embora a visibilidade seja um ponto alto desse tipo de canal de vendas, a fábrica estará concorrendo com outras lojas, desencadeando uma guerra de preços. Outra desvantagem é estar dependente do marketplace, sem conseguir vender por conta própria.

Oportunidades

  • Tráfego qualificado
  • Consumidores fidelizados
  • Abrangência geográfica
  • Manutenção simples

Responsabilidades

  • Cumprir regras
  • Pagamento de taxas
  • Visibilidade da marca
  • Preço do produto e frete

A dica básica para definir em quais canais vender é olhar para os produtos fabricados. Se forem altamente competitivos (eletrônicos, eletroportáteis), vale a pena começar no marketplace. Caso sejam bens exclusivos, bastante nichados, a melhor estratégia é vender no próprio e-commerce.

Foco na experiência do usuário

Se no modelo de negócio B2C (Business to Consumer) é o varejo que se responsabiliza pela experiência de compra do cliente, no formato D2C, o papel cabe à indústria.

Essa proximidade com o consumidor final pode abrir várias oportunidades para o fabricante. Será possível entender melhor tendências e comportamentos para aprimorar produtos atuais e desenvolver novos, saber o que está agradando mais no portfólio e quais as expectativas acerca do que a marca produz.

industria-pode-vender-para-consumidor-final

No formato D2C, a experiência do usuário passa a ser responsabilidade da indústria.

Aproveite todas essas informações enquanto oferece uma experiência de compra única. Uma boa UX (User Experience) deixa o consumidor mais propenso a comprar e voltar, gerando a fidelização tão almejada no varejo. Também ajuda a construir reputação e autoridade do site, atraindo clientes e deixando o e-commerce à frente dos concorrentes.

Importante também é gerenciar o estoque da loja online, investir em bons gateways de pagamento, ter plataformas funcionais e com suporte e operar um processo de entrega eficiente.

Ter uma estratégia digital que auxilie a tornar a marca visível e criar uma disrupção do consumo é fundamental para que a indústria passe a vender para o consumidor online com sucesso.

Antes de entrar para o D2C, verifique se a empresa está totalmente preparada. A nova operação exige capacitação dos funcionários e entendimento do formato para que o modelo de negócios se torne sustentável. Não entre no comércio eletrônico com a pretensão de que ele se torne o seu canal número um em vendas. Para boa parte das marcas, isso nunca acontece.

Não se esqueça de avisar seus parceiros de negócios, uma vez que vocês estão prestes a se tornar concorrentes. Procure uma forma para que todos tenham sucesso.

Baixe o nosso whitepaper de Modelos de Negócios para E-commerce e descubra qual é o mais adequado para o seu crescimento. O material é gratuito, clique no banner!

whitepaper-modelos-de-negocios-para-ecommerce

Esse conteúdo foi útil?
5.00 avg. rating (90% score) - 1 vote

Quer aumentar o seu ROI?

Contrate a melhor agência de Inbound Commerce do Brasil

Contrate agora

Fala pra gente o que achou

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inbound Commerce – O Maior Blog de Inbound para E-commerce