Pesquise por hashtags, nomes, e assuntos Pesquisar

Fechar

Entenda como o voice commerce vai mudar a experiência de compra

Se no passado falávamos em ser “mobile first” (mobile primeiro), a partir de agora devemos pensar em ser “voice first” (voz primeiro). Estamos falando do voice commerce (compra por voz), uma das mais fortes tendências globais de e-commerce.

Neste post, você vai descobrir como o voice commerce está mudando a forma como os consumidores se relacionam com lojas virtuais e como se preparar para essa mudança. Confira!

checklist-migracao-de-plataforma

O que é voice commerce?

O voice commerce é o uso da voz como parte de um processo de compra online e envolve desde a pesquisa para encontrar a solução para uma necessidade a busca do produto em si e depois a compra, de fato, no meio digital. Por enquanto, a Amazon é a plataforma que mais investe nesse novo formato de compra.

Nos Estados Unidos, os assistentes físicos de voz, como Alexa e Google Home, já estão impactando na forma como as pessoas compram online. É o que mostra uma pesquisa da NPR and Edison Research, que constatou que mais de 53 milhões de adultos no país têm ao menos uma caixa de assistente de voz e que a maioria usa o dispositivo uma ou mais vezes ao dia.

Esse novo formato de compra pode se dar inteiramente por voz ou parcialmente, combinado com imagem e texto. Ouça o podcast para aprender mais sobre voice commerce!


Todos os tipos de e-commerce, eventualmente, poderão se beneficiar da compra por voz, mas num primeiro momento o maior impacto será sentido nos setores em que as compras são rápidas para reabastecimento de algum produto, como em supermercados.

O voice commerce se apresenta como ideal para as commodities básicas, de primeira necessidade, quando o consumidor já sabe o que quer.

Apesar de ser uma tendência promissora, o voice commerce ainda encontra barreiras. Uma pesquisa da Forrester testou as capacidades comerciais dos assistentes de voz da Amazon, Apple, Microsoft e do Google e constatou que 65% dos dispositivos falharam nas respostas às perguntas. Em algumas, eles redirecionaram o consumidor para um navegador para encontrar ajuda; em outras, os dispositivos não entenderam o pedido.

Veja o que os consumidores responderam em um levantamento da Elastic Path, uma plataforma de e-commerce, sobre quais produtos comprariam via voz:

  • Itens de supermercado: 69%
  • Produtos de saúde e beleza: 67%
  • Livros, filmes e músicas: 59%
  • Roupas e acessórios: 43%
voice-commerce

Compras rápidas para reabastecimento são as mais impactadas pelo voice commerce.

Voice commerce na experiência de compra

A pesquisa da Elastic Path também descobriu o que os consumidores mais esperam das lojas virtuais no prazo de 12 meses, e o voice commerce é citado. Veja só:

  • Compra por voz: 57%
  • Entrega no mesmo dia: 75%
  • Ótima experiência de compra no mobile: 63%
  • Suporte da Alexa, da Amazon: 53%
  • Possibilidade de comprar por smartwatch: 50%

Segundo o levantamento, a maioria dos consumidores (81%) ouvidos ainda não experimentou a compra por voz, mas dentre os que já usaram essa tecnologia, 22% a fizeram várias vezes na semana, e 21% usaram na última semana.

Uma vez que os consumidores se sentirem confiantes e confortáveis com as compras por voz, o voice commerce se tornará natural. Essa confiança está relacionada com privacidade e segurança no acionamento dos dispositivos e no acesso a informações pessoais, como endereço e cartões bancários.

Para entregar uma melhor experiência ao usuário pelo voice commerce, o marketing terá que se adaptar para vender produtos de um jeito diferente, com linguagem focada em conversa, de olho mais nas necessidades dos consumidores, e menos nos produtos em si.

A busca por voz tem uma peculiaridade: os usuários tendem a ser mais detalhistas do que por texto. Se na digitação a pesquisa é “tênis Adidas Originals”, por áudio se converte em “encontrar tênis Adidas Originals masculino na cor azul mais barato”.

A voz também pode aprimorar a experiência do usuário durante a jornada de compra e engajar o consumidor sem necessariamente ser pela aquisição de um item. É possível usar bots para dar dicas e ajudar os clientes a resolver problemas.

No levantamento US Smart Speaker Consumer Adoption Report 2019, que analisa o comportamento dos consumidores dos Estados Unidos para o uso de assistentes de voz, a busca por informações de produtos era maior do que a compra em si. Veja o resultado da pesquisa:

voice-commerce

SEO para voice commerce

Quando a compra por voz emplacar nos e-commerces, o SEO (Search Engine Optimization – Otimização para mecanismos de busca) vai mudar. A dica é se concentrar em perguntas e linguagem natural, em termos populares para pesquisa por voz, como “melhor”, “bom” e “lista”.

As descrições dos produtos precisam ser claras ao ponto de serem narradas pelos assistentes de voz para que o consumidor consiga traduzi-las em imagens. A dica é usar palavras-chave long tail, detalhar as descrições e usar sinônimos.

O voice commerce é uma tendência global para compras online e sua aplicação vai além do processo de compra em si. Receba semanalmente novidades sobre e-commerce assinando a nossa newsletter!


Esse conteúdo foi útil?
0.00 avg. rating (0% score) - 0 votes

Quer aumentar o seu ROI?

Contrate a melhor agência de Inbound Commerce do Brasil

Contrate agora

Fala pra gente o que achou

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inbound Commerce – O Maior Blog de Inbound para E-commerce